quarta-feira, 22 de dezembro de 2010

Batizado e Troca de Cordões 2010



No ultimo dia 12/12, realizamos o Batizado e a troca de cordões 2010.

Abrimos com uma apresentação de Maculelê, onde os próprios alunos organizaram e fizeram a coreografia.

Logo após esta apresentação, demonstramos aos convidados os diferentes toques de capoeira, e sucessivamente o jogo de cada um deles.

Crianças, adolescente, idosas e deficientes mentais participaram do nosso batizado, nos mostrando cada vez mais que a Corrente Libertadora tem o intuito de ensinar a Cultura Brasileira a todas as idades, e não mede esforços para que haja a inclusão, independente das limitações de cada um de seus alunos.




Fizemos DVD’s do Batizado, para quem tiver interesse procurar pelo Renato , que é quem está vendendo-os. Fone: 8085-7325 ou 3534-2181.

segunda-feira, 13 de dezembro de 2010

Depoimentos de Alunos

Bruna


A mais ou menos 11 anos atrás eu estava entrado na Corrente, como o mestre sempre diz, eu era bem pequena, a caçulinha do grupo, vivia correndo pra cá e pra la, não entendia muito bem o que eu fazia la. Hoje isso mudou, a capoeira hoje pra mim é um local onde me sinto bem. Durante esses anos passaram muitas pessoas, infelizmente nem todas continuaram na corrente, por uns e outros motivos. mais a cada mês que passa, praticamente uma pessoa nova aparece la, hoje posso dizer que tenho amigos de verdade que surgiram graças a Corrente. Lá nn é só um local onde a gente vai, faz o que tem que fazer, vai embora e já era, nn é muito mais do que isso, la a gente conversa, brinca, faz coisas juntos. Sou grata ao mestre Tigrão por tudo que ele me ensinou, e principalmente grata ao Rasgado, que foi meu primeiro professor de capoeira. na Corrente eu encontro uma boa parte da minha felicidade!

segunda-feira, 6 de dezembro de 2010

São Direitos da Criança..

Lápis, caderno, chiclete, peão

Sol, bicicleta, skate, calção

Esconderijo, avião, correria,

Tambor, gritaria, jardim, confusão

Bola, pelúcia, merenda, crayon

Banho de rio, banho de mar,

Pula sela, bombom

Tanque de areia, gnomo, sereia,

Pirata, baleia, manteiga no pão

Giz, merthiolate, band aid, sabão

Tênis, cadarço, almofada, colchão

Quebra-cabeça, boneca, peteca,

Botão. pega-pega, papel papelão

Criança não trabalha Criança dá trabalho

Criança não trabalha

1, 2 feijão com arroz

3, 4 feijão no prato

5, 6 tudo outra vez

quinta-feira, 2 de dezembro de 2010

Sarau Resistência e Mobilização Negra

                                                                 
 

 
Dia 19 de Novembro a Associação Cultural Corrente Libertadora realizou o Sarau “Resistência e Mobilização Negra” na sua sede na Rua Cerqueira César em Santo Amaro – SP. Com um clima muito gostoso começou com uma roda de capoeira, logo em seguida Mestre Capetinha veio com o som do Batuquedum,com um ritmo contagiante que não ficou ninguém parado, a roda de ciranda fez com que as pessoas pudessem sentir o calor do próximo todos dançando com um sorriso estampado no rosto, Magnólia uma da Fundadoras da Corrente Libertadora cantou uma música , Mestre Eufraudisio  com sua graça recitou Contos e cantou músicas com seus irmãos Magnólia e Tigrão,Mestre Moreira recitou um poema também falando sobre o berimbau, a Glaucia canto uma música ,Tocaias Mc´s veio trazer para nós um pouco do rap de parelheiros ,o irmão do Mestre Moreira veio também nos contar histórias.Isso foi um pouco do nosso Sarau em memória de Zumbi dos Palmares grande líder negro símbolo de resistência e como diz na letra do Mestre Eufraudisio ...”Êeeeee..Zumbi ,Zumbi Ganga meu Rei você não morreu você está em mim!!!”

segunda-feira, 29 de novembro de 2010

DVD da Corrente Libertadora

Já temos DVD´s da Corrente Libertadora

-Aula no Joerg Bruder 2002
-Festival de capoeira no Ibirapuera 2009
-Batizado 98
-Apresentação Mundo Mix
-Oficina de capoeira CCA 96
-Treino de capoeira no salão onde hoje é o boxe (1999,2000)
-Apresentação Praça da Republica 2003
-Apresentação Parque do Ibirapuera 2006
-Apresentação Ginásio do Ibirapuera 2006
-Batizado 99
-Batizado 2004
-Reunião de pais 2003
-Festival de capoeira no bruder
-Memória do Quilombo
-E várias apresentações atuais, como no Joerg Bruder para os japoneses ,Apresentação no Capão Redondo,  vivência na Uniitalo, Pequeno Príncipe, movimentos da corrente, apresentação favela da paz, no CEU Alvarenga, na Escola Profº Alberto Conte entre outros..

Para quem tem saudade da antiga, nos DVDs tem mestre Mauricio, Kamon, Vampiro, Denis, Doido, Henrique, Andre, Werverson, Marcelo, Cebola, Rasgado, Budeo, Morcegão, Caverninha, Brinca, Dani, Márcia, Karen, Kelly, Pixaim, Capão, Roco, Camila, Cristina, Glaucia, Lucas, Armada, Thiago, Bahia, Bruce, Henrique, Michel  entre outros..

Quem quiser adquirir esse DVDs procurar o Renato Palmito (telefone 8085-7325 ou 3534-2181).

sexta-feira, 26 de novembro de 2010

Dia 12 de Dezembro Batizado e troca de cordões

Associação Cultural Corrente Libertadora

Dia 12 de Dezembro a Associação Cultural Corrente Libertadora realizará o batizado e troca de cordões no Clube Escola Joerg Bruder, que fica em Santo Amaro -SP,  ao lado do Terminal de Santo Amaro e próximo a Estação de metrô Largo 13.
Os cordões da A.C.C.L são feitos com lã; e as cores são as da bandeira do Brasil. Cada graduação tem cores diferentes, os cordões são simbolos que mostram a evolução do aluno, tanto na capoeira, como na parte social de formação do aluno. Mestre Tigrão, segue essa filosofia pois a capoeira trabalha o corpo, a mente, a cultura e consequentemente a parte social, por exemplo, a criança aprende capoeira começa a procurar a história do Negro ele procura entender porque existe as favelas, que são antigos quilombos e ele vai refletindo sobre a vida na sociedade e começa a pensar que "O operário é o ESCRAVO de hoje e a Indústria é o Canavial"(Mestre Mauricio/Magnólia), vai percebendo que só mudou o cenário e com isso derrepente ele pode crescer pensando no lado social incentivando-o a tentar estudar para ser  um Assistente Social, um Psicologo, um Educador, enfim, a Corrente Libertadora trabalha toda essa parte Social e Desenvolvimento do aluno.


Sistema de Graduações da Corrente Libertadora

quinta-feira, 25 de novembro de 2010

Feira e Congresso Internacional para ONGs Brasileiras



De 25 de novembro até o dia 27 o Expo Center Norte recebe a 2º Ongs Brasil. Voltada exclusivamente para as Organizações Não Governamentais.

Com entrada franca a feira vai abrir para o grande publico no sábado. Em razão de nos 2 primeiros dias priorizar captação e investimento na área, principalmente de empresas sem responsabilidade social, já que quem ajuda recebe incentivos fiscais do governo e ganha uma maior visibilidade de sua marca.
No sábado o evento servira de “paginas amarelas” de pessoas que procuram uma instituição para poder ajudar.

A Corrente Libertadora está no pavilhão vermelho N17


A Associação Cultural Corrente Libertadora , está participando na Feira e Congresso Internacional para ONGs Brasileiras é um evento onde estão participando mais de 500 ONGs de todo Brasil mostrando os trabalhos desenvolvidos

quarta-feira, 24 de novembro de 2010

Músicas de Alunos


Morcegão


Eu fui jogar capoeira em uma roda ligeira,
Fiz aú dei rasteira e o povo aplaudiu,
Olhei para o lado uma linda morena me olhou e sorriu,
Fiquei tão contente naquele momento eu me destrai,
o bicho pegando todo mundo agitando a chapa eu nem vi,
Sai da roda arrastado que dia azarado que eu tive aqui
  coral
pode sorrir, pode sorrir
moça bonita conseguiu me destrair
                          
 coral
pode sorrir, pode sorrir
eu apanhei mas eu também sei cair
                        
 coral 
 pode sorrir pode sorrir
morena bonita por que foi me destrair

terça-feira, 23 de novembro de 2010

Vivência de maculelê na E.E. Giulio David Leone

A dança do facão







Dia 16 de novembro de 2010, o Mestre Tigrão, fez uma vivência de maculelê na E.E. Giulio David Leone, onde a professora Célia o convidou para mostrar um pouco do seu trabalho.







A característica principal desta dança é a batida dos porretes uns contra os outros em determinados trechos da música que é cantada acompanhada pela forte batida do atabaque. Esta batida é feita quando, no final de cada frase da música os dois dançarinos cruzam os porretes batendo-os dois a dois. 



O maculelê pode ser feito com porretes de pau, facões ou facas, mas, alguns grupos praticam o maculelê com tochas de fogo ou "tições" retirados na hora de uma fogueira que também fica no meio da roda junto com os dançarinos. É um espetáculo perigoso, pois corre-se o risco de se queimar. Porém, é uma das coisas mais bonitas de se ver. Exige muita habilidade dos dançarinos.


Atualmente a dança do maculelê é muito praticada para ser admirada. É parte certa na apresentação de grupos de capoeira e em eventos realizados como formatura, encontros, batizados, etc. É fundamental se preservar a dança do maculelê, ensina-la com destreza e capacidade aos alunos para que eles possam eventualmente fazer belas apresentações. 


Aos golpes e investidas dos feitores contra os negros, estes se defendiam com largas cruzadas de pernas e fortes porretadas que atingiam principalmente a cabeça ou as pernas dos feitores de acordo com o abaixar e levantar do negro com os porretes em punho. Além desta defesa, os negros pulavam de um lado pro outro dificultando o assédio do feitor. Para as lutas travadas durante o dia, os negros treinavam durante a noite nos terreiros das senzalas com paus em chama que retiravam das fogueiras, trazendo ainda mais perigo para o agressor. 


Enquanto "brincavam" com os cepos de cana no meio do canavial, os negros cantavam músicas que evidenciavam o ódio. Porém, eles as cantavam nos dialetos que trouxeram da África para que os feitores não entendessem o sentido das palavras. Assim como a "brincadeira de Angola" camuflou a periculosidade dos movimentos da capoeira, a dança do maculelê também era uma maneira de esconder os perigos das porretadas desta dança. Uma outra versão diz que para se safarem das chibatadas dos feitores e capatazes dos engenhos, os negros dos canaviais se defendiam com pedaços de pau e facões. 


Se formos olhar pelo lado do conceito de que maculelê é a dança do canavial, teremos um outro conceito que diria ser esta uma dança que os escravos praticavam no meio dos canaviais, com cepos de canas nas mãos para extravasar todo o ódio que sentiam pelas atrocidades dos feitores. Eles diziam que era dança, mas na verdade era uma forma de luta contra os horrores da escravidão e do cativeiro. Os cepos de cana substituíam as armas que eles não podiam ter e/ou pedaços de pau que por ventura encontrassem na hora. 


O maculelê tem muitos traços marcados que se assemelham a outras danças tradicionais do Brasil como o Moçambique de São Paulo, a Cana-verde de Vassouras-RJ, o Bate-pau de Mato Grosso, o Tudundun do Pará, o Frevo de Pernambuco, etc. 


Os passos da dança se assemelham muito aos do frevo pernambucano, são saltos, agachamentos, cruzadas de pernas, etc. As batidas não cobrem apenas os intervalos do canto, elas dão ritmo fundamental para a execução de muitos trejeitos de corpo dos dançarinos. 


Maculelê tem origem Afro-indígina, pois foi trazida dos negros da África para cá e aqui foi mesclada com alguma coisa da cultura dos índios que aqui viviam.


Célia treinou na Corrente muito tempo atrás, Ela quis mostrar o maculelê para fazer com que as crianças pudessem conhecer um pouco da Cultura Popular Brasileira.Elas eram bem agitadas ,mas quando começamos a apresentar prestaram bastante atenção e se envolveram muito no ritmo da dança.

segunda-feira, 15 de novembro de 2010

Vivência de capoeira na Faculdade UniItalo

No dia 11 de novembro Mestre Tigrão e Moreira, organizaram uma vivência de capoeira junto com os alunos da Corrente Libertadora na Faculdade UniItalo da Avenida João Dias. Estava acontecendo uma exposição Cultural sobre a cultura Brasileira e Mestre Tigrão explicou um pouco sobre o berimbau,  instrumentos da capoeira, capoeira angola, regional e o maculelê. As pessoas que estavam participaram, se envolveram, tiveram uma participação muito legal  e muito boa, foi muito bom pois as pessoas têm que conhecer a origem do nosso povo e nossa cultura, nesse video temos alguns momentos da vivência...Dêem uma olhada.
                            
http://www.youtube.com/watch?v=X44ypfP1wVc

Sarau Resistência e Mobilização Negra


A Corrente Libertadora realizará o seu ultimo Sarau do ano, dia 19 de novembro, a partir das 19:00 horas na sede da Corrente, na rua Cerqueira Cesar nº185, estão todos convidados tragam amigos, parentes, familiares. O Sarau é um evento gostoso onde as pessoas expõem suas idéias, pensamentos, recitam poemas e versos, cantam musicas, jogam capoeira, entre outras atrações. Sua presença é muito importante, esperamos por Você!!!

quarta-feira, 10 de novembro de 2010

Brasil





Brasil
"Gigante pela própria natureza"

Nossa riqueza cultural não é menor do que nossa beleza Natural, onde a flora e a fauna encantam o planeta.

Possuímos um clima variado e um povo extremamente hospitaleiro. Somos um país aberto para o novo, para a mudança, e principalmente para a evolução!

O indivíduo é a sua memória, e o que define sua personalidade são: suas lembranças de infância, o que experimentou, o que sentiu. Aqueles sabores, sons, cores, fases de vida, sofrimentos, lutas, derrotas, vitórias, superações. São estas recordações da vida que definem a personalidade de cada um.

Da mesma forma, é a memória coletiva que molda a vida de uma nação, que define sua cultura. É a soma destas individualidades que definem o brasileiro e o Brasil.

A preservação da cultura brasileira e de suas raízes é primordial para construção da nossa identidade. Nós somos a nossa cultura. Somos: barrocos, Aleijadinhos, sacis, índios, negros, europeus, cordel, maracatu, samba, atabaque, Capoeira, etc.

Estamos descritos nos versos de Drummond, de Quintana, de Bilac. Somos Macunaíma. Temos as nossas Vidas Secas. Vivemos nos Sertões. Este é o nosso RG, o nosso curriculum vitae, está impresso nas digitais da alma brasileira. Só assim nos reconhecemos é que seremos reconhecidos.

Com uma cultura forte e viva, enfrentaremos a globalização sem esquecermos que somos brasileiros.

Texto: Lilian Cruz

quinta-feira, 4 de novembro de 2010

Depoimentos de Alunos

Renato Freitas Apelido:Palmito

Pô num sei nem por onde começo..é tanta coisa legal, mas vou falar. Comecei em 2001, na Corrente Libertadora lá no Joerg Bruder com o Mestre Tigrão,comecei numa sexta-feira junto com a minha irmã, no sábado entro o Marcelo, Henrique, André e Werverson eram os moleques da mesma faixa etária, eu era pouca coisa mais novo... No começo eu nem treinava direito, eu mas enrolava, o Tigrão me deixava gingando quando ele saia eu parava e sentava, mas naquela época tinha muitas pessoas que faziam vários mortais, jogavam muito, ai eu ficava meio acanhado, mais eu ia pra capoeira, via o Kamon, Roco, Doido, Bruce, Denis, Lucas, a Cris,Vampiro, Marcia, Dani, Capão, Brinca, Morcegão, Pio, Thiago, Glaucia, Tato, Caverninha, Rasgado, Fernandinha, Pixaim, Cristian, Bruce, Bahia, Karen, Eduardo, Bahia...Entre outros que jogavam, pulavam e foram minha inspiração também, teve uma vez o Doido (que infelizmente foi assassinado) ele pulou 15 pessoas no mortal de frente e eu era o ultimo, ele pulou todos e caiu em pé quem escuta parece até mentira, mais eu sou a prova viva hehe, a Corrente trabalhava com muitos deficientes físicos e mentais, e muitos meninos de abrigo que morava nas ruas, eu cresci vendo isso me ajudou desde criança a olhar pelos menos favorecidos, eu aprendi a ser mais humilde a escutar os outros.., Enfim muitas coisas, no batizado de 2001 em não peguei cordão mais o batizado foi muito louco, foi onde é a quadra de futebol do Bruder, a corrente fazia outros trabalhos no buraco do sapo  "Cejole", tinha Sinhazinha Meireles, Ação Largo 13. Casa da Praça, Projeto Casarão e Luta pela Liberdade, que encheu a quadra de capoeiristas da corrente, em 2002 entro na corrente um rapaz chamado Juscelino ele tinha paralisia infantil, ele andava na posição de Lotus (uma perna em cima da outra) e si arrastava em cima do skate, mais andava mais com a mão no chão... Nas apresentações o Tigrão sempre mi colocava pra jogar com ele e eu gostava muito e também aprendi muito com ele, teve uma apresentação que eu nao esqueço no dia de Combate contra a Aids na praça da patriarca foi muito bom tinha muitas pessoas no evento reunidos em um lugar de conscientização para crianças jovens e adultos, até tinha um projeto "Trance Essa Ideia", que era umas fitas que representa o sexo, a paz, o amor...enfim 2002 me batizei o vampiro mi derrubo e o Marrelo foi meu padrinho, moro no capão redondo desde 95, infelizmente vi um homem sendo morto em 2003; e com isso fiquei com uma doença chamada Síndrome do Pânico, na qual eu ficava com falta de ar, e com isso parei de fazer capoeira, mas o Tigrão e a Laura sempre me ligavam; falavam com minha mãe sempre me ajudo muito..ai eu ia no psicólogo e vi que num estava adiantando nada...ai eu parei e pensei: "Caramba eu to com um problema psicológico e aqui em casa mal, mas na corrente conheci o Juscelino que nunca ficou em pé, e nem vai ficar devido a paralisia Infantil, vários moleques de rua, pessoas com deficiência mental; e tava sempre sorrindo sempre ali Feliz" ai foi da onde eu tirei forças pra voltar e também comecei ir pra catequese, e Graças a Deus eu superei esse problema, em 2008 eu voltei a treinar tinha saído muita gente devido trabalho, religião, etc...lembrei também do mestre Maurício fundador da corrente que infelizmente o tempo que eu fiquei fora ele veio a falecer mais pra mim foi um homem muito importante via ele de vez em quando na corrente mais tinha um bom coração. Continuei treinando em no começo de 2010 dei oficina de capoeira no Shopping Interlagos, com a autorização do mestre, e o Mestre Tigrão me chamo para começar a dar oficina No Projeto Pequeno Príncipe em Parelheiros, onde venho desenvolvendo um trabalho até hoje, também passou por lá o Fanho, e o Lucas que logo mais vai ta comigo lá de novo, e também estamos No Projeto Periferia Ativa aqui no Capão ao lado da minha casa onde até o Mano Bronw gosto da idéia e nos ajudo, e eu me sinto muito feliz vendo que as crianças aprendem, se divertem vêem, que tem capacidade de dar mortal, de respeitar o outro, de fazer movimentos, pra mim meus alunos são como meus filhos!.Então só queria dizer que a Capoeira e a Corrente pra mim é tudo ao Mestre Tigrão e Mauricio sem palavras, a Magnólia ao Eufraudiusio e a todos que praticaram lá agradeço que foram minha inspiração to com a Corrente até o fim,e com toda historia que ela tem agente planeja continua trabalhando com crianças de situação de risco, deficientes, e todos para lembrar que a capoeira é pra todos principalmente para aqueles menos favorecidos é Cultura é esporte é dança, é luta, ela é rica ..Se sou o que sou hoje devo muito a Corrente Libertadora ao Tigrão e todos que aqui passaram...

                                                                          Um Grande Abraço a todos...Renato

'Ao povo que estão presente,e que tem boa qualidade,Olhe pras letras da música que só falam a VERDADE.."  (Mestre Mauricio)

"O operário é o Escravo de hoje,A Industria é o Canavial!!! " (Magnólia)

"Obrigado Negro foi você quem criou a capoeira!" (Mestre Tigrão)

" Eu quero é lutar para vida melhorar,o sorriso tem toda beleza natural de toda criança,é a potência é a riqueza,é a vida é a esperança!!!" (mestre Eufraudiusio)

quinta-feira, 28 de outubro de 2010

Sarau



Todas às segundas sextas-feiras do mês a Corrente Libertadora, realiza em sua sede um Sarau, onde são apresentados: poemas, prosas, crônicas, canções, entre outras formas de expressar sentimentos e ideais. Abordam-se inúmeros temas como: capoeira, suas lutas e conquistas, e representação cultural; além de assuntos também ligados a Cultura e História brasileira.

 
Um Sarau que tem o intuito de multiplicar, ensinar e principalmente aprender com as histórias e vivências de cada pessoa presente.

 
A Associação Cultural Corrente Libertadora (ACCL), além de disponibilizar a todas as pessoas a oportunidade de participar ativamente no seu Sarau, oferece entretenimento a todas às idades.


Algumas das atividades oferecidas: oficina de capoeira (em vários horários); marchetaria com madeira maciça (no desenvolvimento e fabricação de berimbal); percussão (com aulas 100% práticas); e muitas outras atividades culturais e sociais.

A Corrente, espera contar com sua excepcional presença em seus Sarais periódicos.
Rua Cerqueira César, nº185, em Santo Amaro. A partir das 19h.
Próximo Sarau: 19/11/2010.

Texto: Lilian Cruz.




Depoimentos de Alunos

                                                     Lucas Roschel. apelido:Beiço

Comecei fazer capoeira em 89 na Corrente Libertadora, na antiga Casa de Cultura de Interlagos, que hoje é uma delegacia.


Parei de treinar em 92; e retornei em 96, até hoje não parei. A capoeira me deu várias chances na vida aprendi muito ainda estou aprendendo; conheci muitas pessoas, fiz muitas amizades, a capoeira é um esporte de todos; e todos deveriam praticá-la porque é uma dança maravilhosa, um esporte que da gosto de aprender e viver e é do nosso Brasil.

Depoimentos de Alunos

                                                    Lilian Cruz. apelido :Chiquinha


No início, não sabia onde fazer o meu trabalho, assim como a maioria de meus colegas. Havia pensado em fazê-lo em creches, asilos e orfanatos. Como boa parte dos alunos já estava trabalhando com instituições deste gênero, foi então que comecei a procurar algo que realmente faria com prazer: encontrei a Associação Cultural Corrente Libertadora. A princípio, me sentia “uma estranha no ninho”. No entanto, com o passar dos dias, conheci a história de vida de cada criança e, ao perceber que as pessoas que ali estavam tinham um legado de luta para contar e ensinar ao próximo mudei o meu conceito. Não enxergava a dimensão do que esta atividade representa e como influência as pessoas, as quais tiveram todo tipo de experiência, tendo que lutar diariamente pela sobrevivência em busca apenas da dignidade e igualdade.

Depoimentos de Alunos


 Renato Oliveira. apelido:Estrelinha










Em 06/09/2001 entrei no clube da cidade para fazer uma coisa que já esta em meu sangue entre tantas outras atividades, meu olhar era só voltado para a CAPOEIRA, desde então estava entusiasmado com tudo aquilo; sempre foi o que eu quis fazer desde pequeno.

Quando cheguei lá no salão fui chegando de mansinho com vergonha bem eu não sabia NADA só sabia que era legal, pois bem, o mestre TIGRÃO ensinou os primeiros passos que foram ginga e os golpes básicos.

Depois de 2 semanas de treino todas as quartas e sextas-feiras, eu sempre chegava bem cedo, antes de todos até mesmo do mestre. Foi em uma sexta-feira chegou uma pessoa que tinha cordão alto, até então eu nem tinha entrado na roda essa pessoa se chamava ¨CAMON¨ fiquei com medo mais ao mesmo tempo fiquei feliz de ter realizado o que mais queria saber joga capoeira depois daquele dia todas quartas e sextas foi de treino com mestre Tigrão as vezes treinava sozinho mais nunca deixei de treina então chegou o batizado de dezembro de 2001.

Eu nunca tinha ido na capoeira no sábado logo quando fui foi no batizado um grande evento do ano de confraternização com alunos e pais ,quando eu vi tinha mais pessoas q eu nunca tinha visto pessoas q sabia mais movimentos do que eu nunca tinha visto uma roda daquela muita energia isso fez com q eu fosse nos outros sábados fiquei com aquilo na cabeça tenho q treina mais.Então começou a entrar novos alunos da minha idade Marcelo, Henrique, André, Welverson, Fagner, Renato. Ai que me deu mais entusiasmo de treino comecei a ir dia de sábado e tinha visto 2 pessoas da minha idade que já tinham cordão Fernandinha e Pixain, peguei amizade com todos e comecei a treina sério só treinava mortal e movimento o ano todo chegou em dezembro de 2002 fiz o exame pra pegar o primeiro cordão e passei fiquei feliz desde então fiquei muito alegre e não via a hora do batizado chegar. O dia mais esperado chegou ginásios 2 LOTADO de familiares minha família toda lá me vendo chegou a hora de ser batizado muito nervosismo.
Então depois de 5 pessoas q foram batizadas chegou minha hora, Prof MAGRÃO me chamou pra jogar ai fui na hora me levantei meu nervosismo acabou ñ escutava mais nada só a roda na minha frente corri fiz 3 flipes, mortal pirulitado cai bem pra frente da roda voltei e fiz mais um agulha e mortal esticado Magrão viu tanto mortal e fez um pulo do gato que um aluno dele jogou ele, agente fiz um jogo rápido ligeiro fiz uma armada e tomei um rodo!

Ali se concretizou mais de 1 ano de treino e dedicação. chegou a hora de pegar o primeiro cordão ,quem mais seria minha mãe q sempre esteve ao meu lado e me apoio sempre no começo na CAPOEIRA.Assim q ela deu o nó no cordão fiquei realizado e tive uma sensação única q nunca vou esquecer pro resto da minha VIDA.

Em 2010 completei 10 anos de corrente fiquei parado alguns anos mais sempre estava la participando . hoje em dia estou na ATIVA de novo participando de apresentações e eventos festivais batizados etc.
Me orgulho em dizer que minha personalidade foi criada quase toda ali tantos anos e tantas pessoas q passou por ali sei que é difícil lembrar de TODOS!!!
mais Q fique em PAZ aluno da corrente DOIDO e mestre MAURICIO sei que vocês estão nos vendo de algum lugar.

Obrigado por tudo.
História escrita por Renato Oliveira.

segunda-feira, 11 de outubro de 2010

Revista Praticando Capoeira faz matéria sobre a Corrente Libertadora
                            

                                                      

                                  



                                 

Associação Cultural Corrente Libertadora surgiu em 1976 conduzida por Mauricio,de familia baixana de Floresta Azul,ao qual juntaram-se posteriormente seus irmãos Eufraudísio,Eufrásio(Tigrão)e Magnólia.

A partir de 1989,sob a coordenação de Mestre Tigrão,a Associação Cultural Corrente Libertadora começou a desenvolver trabalhos em diversas entidades públicas municipais e estaduais,como:Centro de Convivência Interlagos(Secretaria Municipal da Saúde);Centro Esportivo Joerg Bruder(Secretaria Municipal de Esportes);Escola Municipal de Deficientes Auditivo Anne Sullivan(S.M.da Educação);Casa de Cultura de Santo Amaro(Secretaria Municipal de Cultura);Escola Produtiva Morro Verde(Secretaria de Cultura do Estado de São Paulo/FEBEM);Sociedade Amigos de Vila São Pedro;Centro Comunitário da Criança e do Adolescente(Liberdade);Projeto Quixote(PROAD-Escola Paulista de Medicina);Escola E.P.S.G"Pe.Tiago Alberione"(parceria com a BRASCRI-Associação Suiço Brasileira de Ajuda á Criança)Em 1991 no trabalho desenvolvido no Centro de Convivência,Mestre Tigrão adaptou os golpes e a ginga para serem praticados pelos deficientes físicos,mentais e auditivos.Com o passar do tempo,achou a metodologia tão eficiente que passou a utilizála no processo de ensino aos outros alunos.Por meio de linhas assinaladas no chão,os alunos aprendem a ginga,os golpes e as sequências,associados ao ritmo da música"Essa é a maneira dos alunos adquirirem noção de equilibrio:espaço,distância,direção e ritmo,aprendendo a técnica de cada golpe",afirma o Mestre.

Há cerca de dez anos,Mestre Tigrão iniciou seu trabalho no Centro Educacional Joerg Bruder,atendendo entre os alunos,deficientes físicos,auditivos e meninos em situação de rua.A partir de 1996,esse trabalho enriqueceu com a participação de dus terapeutas ocupacionais (Mércia e Irene), que criaram o projeto Integrar,estruturando o atendimento aos meninos e adolescentes em situação de risco,sistematizando uma rede de assistência.Hoje,são aproximadamente 650 pessoas que praticam capoeira no Joerg Bruder.além da capoeira,existe um acompanhamento em relação ao desempenho escolar e o relacionamento social deste aluno.Na medida do possível,é feito um atendimento psico-social,quando necessário,ao aluno e a sua familia.Nesse espaço os deficientes treinam junto com os alunos"Quando o deficiente pratica capoeira com as outras crianças sente que pode igualar-se a elas.Isso é muito importante para sua auto-estima,é uma forma de integrá-lo a sociedade".afirma Mestre Tigrão.As aulas são tipo de terapia,onde os alunos ficam "livres"para treinar,tocar instrumentos e cantar."O importante é que todos sintam-se bem aqui.Há uma amizade e respeito muito grande entre todas as pessoas.Um aluno ensina o outro e se por acaso alguma criança não está se sentindo bem para treinar naquele dia,tem todo o direito de ficar quieta ou participar de outras atividades(oficina com as terapeutas ocupacionais)"diz Tigrão.

O batizado da Associação Cultural Corrente Libertadora também é diferente.Em vez de Mestres batizarem os alunos,são os próprios alunos do grupo que batizam uns aos outros."Tudo acontece em clima de muita amizade,ninguém machuca ninguém",afirma o Mestre.Para desenvolver este trabalho Mestre Tigrão conta com o apoio de seu irmão Eufraudisio MOdesto Filho,da psicóloga Laura Maria JOrge Carvalho e de vinte e quatro instrutores integrantes do grupo,os quais são muito importantes,pois desenvolvem um trabalho de multiplicador,tanto em relação a técnica com á filosofia do trabalho.
                                   

Por Leticia C.de Carvalho(Revista Praticando Capoeira ANO 1 nº03,matéria de 2001)

Site Do Lado de cá promove oficinas da Corrente

Capoeira Corrente Libertadora no Periferia Ativa

A Associação Cultural Corrente Libertadora está realizando oficinas de capoeira com as crianças em situação de risco moradoras da comunidade da Godoy, Capão Redondo, zona sul de São Paulo, no projeto Periferia Ativa. Segundo Mestre Tigrão, “A capoeira é um esporte que mexe com o corpo e com a mente e ajuda na coordenação motora, flexibilidade, reflexo, destreza corporal, ritmo, defesa e ataque”.
A Associação Cultural Corrente Libertadora surgiu em 1976, desenvolvendo um trabalho com crianças e adolescentes em situação de risco pessoal e social na região sul da cidade de São Paulo, tendo como estratégia de intervenção o ensino e a prática da capoeira e a utilização da sua simbologia como interpretação da realidade social, tornando-se uma opção à sedução da rua.
A Associação, valorizando as ações preventivas, desde o sua fundação, desenvolveu núcleos de trabalho com a prática da capoeira em comunidades da periferia na região sul da cidade de São Paulo, constituindo-se em uma porta de entrada para o desenvolvimento de um trabalho de cunho educativo e cultural com crianças e adolescentes.

quinta-feira, 30 de setembro de 2010

Site Rap Nacional divulga oficina de capoeira da Corrente Libertadora

083

Projeto Periferia Ativa expande suas atividades e promove aulas de capoeira

Postado por Paula Farias em 29 de setembro de 2010 ás 16:36
O Projeto Periferia Ativa fundado pelo grupo Negredo, Ferréz e Mano Brown, oferece oficinas gratuitas para as crianças da comunidade da favela Godói, na Zona Sul de São Paulo.

Em uma dessas oficinas são realizadas aulas de capoeira. Para o professor de capoeira, Renato , as aulas além de proporcionarem uma atividade física é feito um trabalho de resgate da cultura afro-brasileira. Hoje nós estamos realizando esse trabalho aqui na comunidade , estamos na faixa de 35 a 40 alunos, esse projeto é de extrema importância, porque as crianças não tem uma área de lazer, como uma quadra de esportes .As crianças gostam de  fazer capoeira, dos saltos , de se equilibrar de cabeça para baixo. A capoeira  além de resgatar a história de luta e resistência do povo negro, também relembra o quanto é bom andar com o pé no chão sentir a terra, ter  simplicidade,porque hoje os moleques  já crescem pensando no tênis Nike ,na blusa da oakley, e  se esquecem  da sua essência de  suas raízes”.

As aulas de capoeira são uma iniciativa inédita no Projeto Periferia Ativa e precisa de apoio para se manter. Quem tiver a fim de conhecer pode assistir o vídeo abaixo e para colaborar é só entrar em contato através do e-mail:                 renato-soul@hotmail.com

quarta-feira, 29 de setembro de 2010

Disco da Corrente Libertadora

Associaçao de Capoeira Brasil Folclore-Mestres:Neguinho e Moreira & Associaçao de Capoeira Corrente Libertadora-Mestres:Mauricio e Eufraudisio-1980


Associaçao de Capoeira Brasil Folclore e Corrente Libertadora-Lp-Grav.Disco de Plata-1980
ladoA:1-Capoeira e liberdade;2-Quero que voce me ensine;3-Vamos todos aprender;4-Se voce nao conhece a vida;5-E no pe,e na mao,e no passo.
ladoB:1-Olha o negro,meu senhor;2-Meninos formados;3-Joga,joga,capoeira;4-A mulher;5-Cade papai,mamae;6-Magnolia

Oficina de capoeira no Projeto Periferia Ativa


No final do mês de Julho a Corrente Libertadora começou a desenvolver oficina de capoeira na zona Sul de São Paulo no Capão Redondo,num projeto chamado Periferia Ativa,Lucas é o instrutor responsável onde desenvolve o trabalho todos os sábados das hs10:00 ás hs12:00,a oficina tem em media 35 crianças que são muito interresadas e muito espertas,Mestre Tigrão supervisiona o projeto ele é muito querido entre as crianças.